quarta-feira, 12 de setembro de 2018

Em contagem descrescente

E não, não é para ter a minha bebé. Bem, isso também, mas ainda falta (cheguei às 24 semanas hoje, palmas para nós!). Mas a verdadeira contagem decrescente do momento é para a nossa próxima viagem, que vai ser uma espécie de festejo pelos meus 30 anos (nem me acredito que já são 30). Já temos tudo pronto, é só mesmo esperar pelo dia! Alguém adivinha onde vamos?

domingo, 2 de setembro de 2018

Setembro, seu lindão

Adoro Setembro. É, de longe, o meu mês preferido. Adoro a mudança de estação, adoro as cores, adoro as novas colecções de roupa, adoro que seja um mês de recomeços. E este Setembro promete: o meu aniversário está aí à porta (e este ano é um grande!), vou fazer uma viagem pela qual estava há muito (muito!) tempo à espera e os preparativos para a chegada da bebé continuam a todo o gás. 

Por aqui, tenho tentado aproveitar estes últimos tempos de sol e dias compridos para carregar baterias e fazer umas belas caminhadas, que se é verdade que adoro o Outono, também é verdade que não gosto assim tanto do Inverno, que no UK é particularmente cinzento e escuro (e eu vou estar do tamanho duma piquena traineira, o que também não vai ajudar).

Desejo-vos a todos um excelente mês de Setembro! 


quinta-feira, 30 de agosto de 2018

Pedaços de fim-de-semana #17

Este último fim-de-semana que passou foi prolongado. Sabiam que, no UK, se um feriado calhar ao fim-de-semana é automaticamente transferido para a segunda-feira a seguir? Não foi o caso deste, que já era na segunda-feira, mas achei por bem partilhar isso aqui.

Foram 3 dias que souberam a mel. O tempo arrefeceu bastante, mas até isso tem sido simpático, já tinha saudades de uma bela manta para ver televisão à noite. 

Sábado começou com uma consulta bastante dolorosa na osteopata (dolorosa, mas que faz toda a diferença para as minhas costas) seguida de um almoço num dos meus restaurantes preferidos aqui na terrinha. O resto do dia, assim como domingo, foram passados em casa, protegidos da chuva e a montar os móveis para a nossa piquena (o quarto dela já está a começar a ficar compostinho) e segunda-feira foi dia de ir explorar um bocadinho do UK, Desta vez, fomos até Bournemouth, onde há uma praia bastante jeitosa (com areia de verdade e não calhaus, coisa rara por aqui), mas o dia estava bastante cinzento. Deu para aproveitar para fazer umas belas caminhadas à beira-mar e pelos jardins da cidade, o que já não foi nada mau.

O próximo fim-de-semana já está mesmo aí à porta, mas fiquem aqui com as fotos do último!

Detalhes do restaurante escolhido para o almoço de sábado



Mocktail para mim (para quem não sabe, mocktail é um cocktail sem álcool. Sumo, portanto)

Almocinho bom

Mini meias para mini pés

Praia em Bournemouth



As famosas Beach Huts




É muito comum encontrar dedicatórias destas nos bancos de jardim



Fim do dia em Poole

domingo, 26 de agosto de 2018

Sobre manhãs de domingo e o fim do verão

O verão no UK (que este ano foi surpreendentemente quente!) já chegou ao fim. Estou a escrever-vos do meu sofá, nesta manhã de domingo, e já tive de vestir uma camisola por cima do pijama. Estou a ver a chuva a cair lá fora (há que ver as coisas pelo lado positivo: não vamos ter de regar o jardim) e daqui a pouco vou embrulhar-me numa mantinha a ver um bom filme. 

Este verão que passou foi maravilhoso! Descobrimos que vamos ter uma menina e somos, oficialmente, uns pais babados (embora ainda nada disto pareça real). Fomos de férias à Sardenha, um lugar lindo e que estava na nossa lista de lugares a visitar. Fomos de férias a Portugal, onde casámos (antes que perguntem, o casamento estava previsto desde o ano passado e muito antes de sonharmos, sequer, que íamos ser pais. Só não falei muito disso aqui porque, para nós, não fazia sentido estar a fazer uma grande festa - temos outros planos para as nossas poupanças), apanhámos a onda de calor em todo o seu esplendor, mas visitámos família e amigos (alguns dos quais não via há imenso tempo!) e comemos tudo o que nos andava a apetecer. 

E, agora, estamos de volta a Inglaterra, de volta à rotina (mas vem aí uma viagem pela qual andava a ansiar há muito tempo! Alguém adivinha onde vamos?) e de volta ao outono. O outono continua a ser a minha estação preferida. Ainda há sol suficiente para ninguém andar deprimido, mas já se pode estar a ver televisão com uma manta em cima das pernas; ainda sabe bem comer um gelado depois do almoço, mas também já sabe bem beber uma chávena de chá quentinho pela manhã. E, claro, não esquecer que a moda de outono é sempre maravilhosa - mas este ano não há compras para ninguém, vão ter de ficar para o próximo outono e para o pós-grávida. Enfim, tudo isto para dizer que estou feliz porque vem aí o outono, que adoro, mas que também estou feliz porque este verão que passou foi tudo de bom.

Posto isto, sei que muitos de vocês ainda vão ter mais de um mês de verão pela frente, mas por aqui acho que é seguro dizer que acabou e quero saber: quais são as melhores memórias que vão levar deste verão?

Bom domingo a todos!

terça-feira, 21 de agosto de 2018

A Gravidez, esse estado de graça

Escolhi referir-me à Gravidez com G maiúsculo porque, para mim, é como se ela fosse uma pessoa, algo muito real e com uma identidade muito própria. E de quem eu não gosto. 

Tenho para mim que quem teve a ideia de chamar a estas 40 semanas de "Estado de Graça" foi, provavelmente, um homem, porque mulher nenhuma no seu perfeito juízo se lembraria de tal coisa. 

Sim, é muito bonito saber que está aqui um bebé. Adoro ir às ecografias e ver a minha menina (que está a crescer imenso!), adoro planear tudo para a chegada dela, adoro imaginar como é que ela será, com quem é que será parecida, mas... se adoro estar grávida? Não. Nunca tive uma ideia muito romântica daquilo que seria estar grávida, sempre achei que era "um mal necessário" a quem quer ter filhos, e ainda bem que achava isso, ou teria tido uma grande desilusão.

E, posto isto, deixo-vos aqui algumas coisas que eu gostava de ter sabido antes de engravidar:

1 - Os enjoos matinais não acontecem só de manhã. Eu sei que há por aí sortudas que nunca têm náuseas (a minha própria mãe fartou-se de se gabar de como nunca enjoou nas 3 gravidezes), mas eu tive e deixem que vos diga que não tem piada nenhuma. São náuseas que duram o dia todo, não há uma posição confortável para estar, não há comida, cheiro, nada que alivie aquilo. E como gravidez não é doença, toda a gente espera que sejam capazes de fazer a vossa vidinha normalmente, tal como até ali. A boa notícia é que, eventualmente, acalmam. Mas, para mim, foram umas longas 13-14 semanas.

2 - A barriga dói a crescer. Aqui no Reino Unido usam mesmo o termo "dores de crescimento". E é só isto que há a dizer sobre este assunto.

3 - Perdemos completamente o controlo sobre o nosso corpo. Tudo muda (para pior) e não há nada que possam fazer em relação a isso. E nem estou a falar do aumento de peso, esse pensei que fosse ser pior. Mas é incrível como, dum momento para o outro, o meu corpo passou de "meu" a "da minha filha". É como se conseguisse sentir que tudo é por e para ela, eu deixei de existir. Não sei explicar melhor que isto, mas é assim. E nem vamos falar de pernas inchadas, má circulação, gordura a ser acumulada em locais vários, porque isso já toda a gente sabe. 

4 - Sobre o aumento de peso: não tenho muita mais fome por estar grávida. A grande diferença é que não consigo estar tantas horas sem comer como antes (e eu nunca aguentei muitas, para ser sincera), mas não como muito mais. Acho que a maior parte das pessoas entra num estado de "estou grávida, posso finalmente comer o que me apetecer sem ninguém dizer nada" e comem este mundo e o outro. Não tenho tido dificuldade nenhuma em manter-me longe de doces e outras coisas do género, não tenho "desejos", tenho tentado manter uma alimentação o mais saudável possível, até porque agora não é só a minha saúde que está em jogo, é a da minha bebé também. Em termos de exercício, continuo a andar a pé todos os dias, comecei a fazer yoga (as costas sofrem muito durante a gravidez - e não ajuda não ter posição para dormir) e faço mais algum exercício, mas tive de abrandar, porque me canso muito mais depressa e a respiração não é o que era. Gostava muito de ser uma Carolina Patrocínio, mas claramente não tenho esse gene.

5 - "Aproveita para dormir agora". Não sei quantas vezes já ouvi isto e só tenho a dizer: A SÉRIO? Dormir? Com dores de costas? A acordar 10 vezes durante a noite, ou porque não estou confortável, ou porque tenho de por uma almofada debaixo da barriga, ou porque tenho de ir fazer xixi, ou porque isto ou porque aquilo? Poupem-me, pessoas. Poupem-me. Está bem?

6 - Toda a gente tem um comentário a fazer sobre a vossa barriga. Eu já ouvi que está muito grande e já ouvi que mal se nota (às vezes ouço as duas coisas no mesmo dia), enfim. Para mim, está enorme, porque estava habituada a vê-la lisa (*saudades*) e não a acho particularmente bonita. Mas, a única opinião que me importa é a dos profissionais de saúde que me têm acompanhado e que dizem que estou óptima e super saudável, assim como a bebé. Nem se dão ao trabalho de me pesar nas consultas, apontam o peso que lhes digo que tinha quando me pesei em casa. 

7 - Ninguém é obrigado a gostar de se ver grávida. Eu não gosto. E não admito que ninguém me faça sentir culpada por isso. Todos os dias dou graças por o meu umbigo não ter saído do sítio (tenho uma sérias aversão por umbigos saídos) e por não ter nem sombras de estrias (também ajuda besuntar-me com óleo religiosamente todos os dias, é que não falha). Mas não gosto da barriga. É grande, é descaída, é larga. Tenho gordura nas ancas que não tinha antes. O meu rabo está maior, as coxas, os braços. Estou perfeitamente consciente de que só eu é que noto estas coisas, mas noto-as. Não quer dizer que goste menos da minha bebé do que aquelas grávidas que fazem sessões fotográficas em cuecas para depois as partilharem no facebook com o mundo inteiro. Mas, por muito que goste da minha filha, não gosto de me ver grávida e não tenho problema nenhum em admiti-lo.

Pronto, malta, para já o resumo é este. Estou quase quase quase a entrar no terceiro trimestre que, tenho para mim, vai ser toda uma nova dor de cabeça (o segundo é, sem dúvida, o melhor). Prometo manter-vos a par dos acontecimentos!


domingo, 19 de agosto de 2018

Sofia em Viagem | Sardenha

As férias na Sardenha parece que já foram há uma vida inteira (passaram-se quase 2 meses), mas só agora decidi vir aqui partilhar um bocadinho das ditas convosco. 

O que dizer da Sardenha? Água transparente onde se pode tomar banho sem os ossos começarem a doer (quem já tomou banho no mar do norte de Portugal sabe bem do que estou a falar), areia branca, paisagens lindas e, sendo Itália, a comida é excelente. Nós estivemos na parte norte da ilha, na zona da famosa Costa Esmeralda.

Houve algumas coisas de que não gostámos tanto... a ilha é grande, por isso, para se conseguir ver alguma coisa, ainda se fazem bastantes km de carro (já agora, aluguem carro, porque é essencial), o estacionamento para as praias é quase sempre pago (e bem pago), os areais de algumas das praias são muito pequenos e algumas são de bastante difícil acesso. Chegou a acontecer fazermos uma caminhada de quase meia hora pelo meio do monte para irmos a uma praia, supostamente lindíssima, para chegarmos lá e darmos de cara com um areal do tamanho duma azeitona, onde estariam umas 20/30 pessoas e não cabia lá mais ninguém, o que foi uma grande desilusão. Tirámos uma fotografia (porque realmente era lindo) e viemos embora. Em compensação, no último dia fomos a Cala Brandinchi e pensámos que tínhamos descoberto o paraíso na terra. O mar era transparente, super calmo (já estive em piscinas mais agitadas) e era daquelas praias onde se pode avançar mar adentro que se tem sempre pé. 

Moral da história: gostámos muito das férias, Sardenha é lindo e recomendamos, mas os dois somos de opinião de que se for para repetir um local de férias no futuro, mais depressa repetiremos Menorca que Sardenha, especialmente com uma criança. Sim, porque agora temos de pensar nisso, já não vamos ser só nós os dois por muito mais tempo!

Bem, chega de conversa, deixo-vos as fotos!




















terça-feira, 17 de julho de 2018

A Novidade do (meu) Ano

Eu sei, eu sei que isto tem estado para lá de abandonado, mas está na altura de sacudir o pó e limpar as teias de aranha aqui no estaminé e de voltar ao activo. 

Ora então, passo a explicar o que se passou, que não vai ser novidade para quem me segue no Instagram, mas não podia deixar de vir aqui contar.

Há alguns meses atrás comecei a sentir-me mal. Fisicamente mal. Muito mal mesno. Náuseas terríveis, um cansaço inexplicável, perdi algum peso... a coisa foi estava tão mal parada que cheguei a pensar que estava com uma doença grave e já me estava a preparar para o pior. Chegava a casa todos os dias e tinha de me estender ao comprido até à manhã do dia seguinte, quando me voltava a arrastar penosamente para o trabalho.

Pois bem, pessoas, não há doença nenhuma. Há, sim, um bebé a caminho. Estou, neste momento, grávida de 16 semanas e está tudo a correr bem. A criança está saudável, os enjoos acalmaram e já tenho mais 3kg no lombo. Estar grávida não tem piadinha nenhuma, deixem que vos diga. Mas pronto, diz que no fim vale a pena e cá por casa estamos bem contentes.