sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

Tempo de qualidade

E em vésperas de folga o que é que se faz? Bem, muita coisa. E ainda mais coisas se fazem na dita cuja da folga, mas isso agora não vem ao caso. 
Hoje optei por um banho quente logo depois de voltar do ginásio, um prato de sopa (e um pão com manteiga, se vamos ser sinceros, vamos ser sinceros) e agora estou enfiada na cama, quentinha, quentinha, quentinha (ao contrário da temperatura ambiente) a ver Sexo e a Cidade. Adoro. Já vi a série toda duas ou três vezes e não me canso. A maneira como aquelas quatro simplesmente flutuam alegremente pela vida... sempre em saltos altos, roupa de estilista e festas fabulosas. Ok, a última parte eu dispenso. Já não tenho energia para festas, muito menos para festas fabulosas. Sou uma velhinha de 25 anos, que gosta muito de acordar cedo só para ter o prazer de tomar o pequeno-almoço e voltar para a cama com um livro para ler ou uma série para ver. Gosto muito de aproveitar o dia, de comer um bom jantar fora, dar um passeio, quiçá uma ida à última sessão do cinema quando sinto que não preciso de palitos para segurar os olhos e assim na mais pura das loucuras, um copito na baixa com os amigos. Mais do que isso não me peçam. Não gosto, nunca gostei. É um sacrifício enorme para mim a mera ideia duma saída nocturna que envolva espaços fechados, música barulhenta e pessoas a acotovelarem-se para conseguirem dar um passo. Ainda assim, admiro muito a boa vontade de quem consegue sujeitar-se a isso e ainda mais de quem diz que se consegue divertir. 
E, pronto, isto tudo para dizer que estou muito contente porque amanhã vou poder pôr o sono em dia, trazer a minha caneca de café com leite para a cama e ver o tempo a passar até ser hora de almoço. Infelizmente, não há tempo nem dinheiro para ir a casa, por isso há que tentar ver os aspectos positivos e uma maratona de Mentes Criminosas é um aspecto positivo.

Sem comentários:

Publicar um comentário