quarta-feira, 18 de novembro de 2015

La vie en France #10

Aqui por França os ânimos têm andado muito exaltados, e não é para menos. A cada dia que passa há mais uma novidade que é, geralmente, má.
Não me vou pôr aqui a divagar sobre os direitos humanos nem sobre a discriminação. Também não me vou pôr com discursos (aparentemente) moralistas, como tenho lido muitos ultimamente, sobre o facto de nos preocuparmos mais com as vidas dos franceses do que com as vidas dos sírios, porque isso é ridículo. Uma vida humana é uma vida humana, tanto me faz se é dum português, dum francês, dum sírio ou do que quer que seja. Agora, a partir do momento em que eu vivo em França, parece-me óbvio que os atentados aqui me preocupam mais que os atentados na Síria. Não é discriminação, é instinto de sobrevivência. 

Se me perguntarem se me parece um autêntico abuso que a Europa (não só a França) tenha, durante anos e anos, mantido as suas portas abertas a quem quisesse vir para aqui viver, trabalhar (ou viver da segurança social, como imensos fazem) e agora seja este o agradecimento, a resposta é que sim, é um abuso. Não são todos iguais, obviamente, mas a verdade é que até os mais pacíficos não se esforçam por se integrarem e parece que estão sempre de pé atrás e revoltados com a cultura ocidental. Na maioria das vezes, não são os muçulmanos que são discriminados: são eles que discriminam. E de que maneira.

Também não sou contra a vinda dos refugiados para a Europa. São pessoas numa situação trágica, que precisam de ajuda. Agora, que o facto de os recebermos nos possa estar a pôr em perigo chega até a ser ridículo.

Assim como são completamente ridículas as falhas abismais de segurança que continuam a haver em França. Ontem à tarde fui para Paris, tínhamos bilhetes para subir à Torre Eiffel, o que não foi possível, uma vez que estava fechada, mas decidimos na mesma aproveitar a reserva do hotel e passear. Não posso dizer que tenha tido medo, porque estaria a mentir. Mas também não dá para se estar 100% à vontade. Há sempre a pergunta "E se?". Porque, verdade seja, em termos de controlo de segurança, quase nada mudou. Em qualquer loja onde se queira entrar, há um segurança à porta a verificar sacos e carteiras. Mas, hoje de manhã apanhei o comboio e o controlo para estas situações continua a ser zero, o que não deixa de ser desconcertante. Explodir com a secção de frescos do supermercado, alto lá, que não pode ser, mas porque não fazer o isso com o comboio intercidades? Ridículo. 

O meu namorado volta hoje para Portugal. Chegou bem ao aeroporto, apesar de toda a confusão que se instalou em Paris esta manhã. Antes de embarcar, mandou-me uma mensagem a dizer que o deixaram entrar no avião sem quererem verificar o cartão de cidadão. Ah, claro, perfeitamente normal. França só foi vítima de vários atentados mortais este ano. França só está em estado de emergência. É perfeitamente normal deixarem entrar pessoas num avião sem verificarem a identificação. Lá controlar as dimensões das malas de cabine, isso sim, é que é realmente importante.


12 comentários:

  1. Gostei muito do teu texto e da distinção entre discriminação e instinto sobrevivência.
    Os muçulmanos emigram para outros países que não são os deles, até aí tudo bem. Todos temos o direito de sair do nosso país, seja para estudar ou trabalhar. Mas eles impõem ou querem impor, as regras deles, onde isso já se viu? Eu vim para Angola e tenho de respeitar as regras daqui, o que é mais que normal.
    Enfim...tínhamos tema para dar e vender.
    Beijinho Sofia*
    MR💗

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há pessoas que não acham normal... há pessoas que vêem discriminação em tudo... é como dizes, tínhamos tema para dar e vender *

      Eliminar
  2. Tal como em Portugal a crise é resultado de anos e anos do "deixar andar", de tirar de onde nao se poe, aqui a situaçao que se vive é resultado de anos e anos em que as pessoas foram chegando e se foram permitindo ficar sem que nunca lhes fossem impostas regras, tais como pais sem tempo para educar os filhos os franceses negligenciaram a integraçao desta gente que vem de todos os lados, que tem os mais diferentes costumes e que nao sabe por ela mesma adaptar-se

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Falaste e falaste bem! Como sempre, aliás (=

      Eliminar
  3. i hope it all happen i wish fron the bottom of my heart. the best for all peace much peace a bog hug and kiss andy

    ResponderEliminar
  4. eu sinto isso tmb, não manter mt a calma porque para a semana estamos no congresso, tenho um bocado de medo tmb.
    beijinho SM

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem me fales no congresso que começo já aqui com palpitações

      Eliminar
  5. Very cool blog! I like it a lot.


    here are my links and if you like to follow just follow and leave me your links aswell and I'll
    follow back!



    My Blog
    Bloglovin | Instagram @suvarna_gold | LookBook | Facebook |


    Style up your Blog |
    Advertise your Blog |
    Stay Gold

    ResponderEliminar
  6. Tanta coisa com a segurança e depois nem verificam o CC no aeroporto... Enfim... depois claro que as medidas têm de ser trágicas...
    beijinhos
    http://direitoporlinhastortas-id.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aqui o que é trágico é a falta de medidas...

      Eliminar
  7. As pessoas falam muito, vêm para a TV dizer que atacaram a Síria assim e assado mas aparentemente, pelo que aqui contas, estão mais preocupados em atacar do que em defender!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ah sim, disso não tenhas a menor dúvida... e vão pagar mais caro os inocentes do que os verdadeiros culpados

      Eliminar