sexta-feira, 25 de agosto de 2017

Resumo de um mês em Portugal

A última vez que passei um mês em Portugal foi no início de 2014, mesmo antes de me mudar para o estrangeiro. Tive agora a oportunidade de passar mais algum tempo em casa, perto da minha família e dos meus amigos e soube-me muito, muito, muito bem. 

Passeei na praia, fui conhecer mais um bocadinho do centro do nosso país, passei horas dentro de água e debaixo do sol, comi peixe, comi carne, bebi meias-de-leite com torradas ao pequeno-almoço (um dos meus maiores prazeres na vida - digam lá se eu não sou uma pessoa simples?), fui fazer caminhadas na marginal do rio Douro, provei crepiocas (finalmente!) e consegui passar de cor de lula a pessoa com uma cor saudável.

Enervei-me com os incêndios (até quando, gente, até quando???), achei alguma piada às constantes notícias sobre as melhorias em Portugal (a sério? Onde estão elas?), acompanhei as mais variadas polémicas que assolaram este país (o nome silly season tem uma razão de ser).

Mas, acima de tudo, matei saudades. Não descansei muito, mas descansei o suficiente para me sentir renovada.

Ah, e fomos escolher o meu anel de noivado. Sim, estamos noivos. Depois dou mais detalhes, mas não se animem muito porque não há muitos detalhes para dar que, por aqui, somos duas pessoas muito práticas. Mas eu conto-vos tudo na mesma, não se preocupem.


9 comentários:

  1. Deve ser tão bom aproveitares este mês junto de quem mais amas :)

    ResponderEliminar
  2. Parabéns! E viva o simples, eu também sou assim, nós somos assim!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada (= a maior parte das pessoas fica chocada com a nossa "simplicidade", mas eu fico chocada é com a hipocrisia de muita gente (;

      Eliminar
  3. Deve ser ótimo estares no teu país, junto dos teus. O meu pai está fora e eu conheço a sensação de certa forma.
    Muitos parabéns pelo noivado.

    R: Isso é o que mais me entristece e revolta, saber que não há justiça. São detidos e volta e meia estão cá fora sem cumprir pena nenhuma, infelizmente é o que temos.

    Um beijinho :)

    ResponderEliminar