terça-feira, 21 de agosto de 2018

A Gravidez, esse estado de graça

Escolhi referir-me à Gravidez com G maiúsculo porque, para mim, é como se ela fosse uma pessoa, algo muito real e com uma identidade muito própria. E de quem eu não gosto. 

Tenho para mim que quem teve a ideia de chamar a estas 40 semanas de "Estado de Graça" foi, provavelmente, um homem, porque mulher nenhuma no seu perfeito juízo se lembraria de tal coisa. 

Sim, é muito bonito saber que está aqui um bebé. Adoro ir às ecografias e ver a minha menina (que está a crescer imenso!), adoro planear tudo para a chegada dela, adoro imaginar como é que ela será, com quem é que será parecida, mas... se adoro estar grávida? Não. Nunca tive uma ideia muito romântica daquilo que seria estar grávida, sempre achei que era "um mal necessário" a quem quer ter filhos, e ainda bem que achava isso, ou teria tido uma grande desilusão.

E, posto isto, deixo-vos aqui algumas coisas que eu gostava de ter sabido antes de engravidar:

1 - Os enjoos matinais não acontecem só de manhã. Eu sei que há por aí sortudas que nunca têm náuseas (a minha própria mãe fartou-se de se gabar de como nunca enjoou nas 3 gravidezes), mas eu tive e deixem que vos diga que não tem piada nenhuma. São náuseas que duram o dia todo, não há uma posição confortável para estar, não há comida, cheiro, nada que alivie aquilo. E como gravidez não é doença, toda a gente espera que sejam capazes de fazer a vossa vidinha normalmente, tal como até ali. A boa notícia é que, eventualmente, acalmam. Mas, para mim, foram umas longas 13-14 semanas.

2 - A barriga dói a crescer. Aqui no Reino Unido usam mesmo o termo "dores de crescimento". E é só isto que há a dizer sobre este assunto.

3 - Perdemos completamente o controlo sobre o nosso corpo. Tudo muda (para pior) e não há nada que possam fazer em relação a isso. E nem estou a falar do aumento de peso, esse pensei que fosse ser pior. Mas é incrível como, dum momento para o outro, o meu corpo passou de "meu" a "da minha filha". É como se conseguisse sentir que tudo é por e para ela, eu deixei de existir. Não sei explicar melhor que isto, mas é assim. E nem vamos falar de pernas inchadas, má circulação, gordura a ser acumulada em locais vários, porque isso já toda a gente sabe. 

4 - Sobre o aumento de peso: não tenho muita mais fome por estar grávida. A grande diferença é que não consigo estar tantas horas sem comer como antes (e eu nunca aguentei muitas, para ser sincera), mas não como muito mais. Acho que a maior parte das pessoas entra num estado de "estou grávida, posso finalmente comer o que me apetecer sem ninguém dizer nada" e comem este mundo e o outro. Não tenho tido dificuldade nenhuma em manter-me longe de doces e outras coisas do género, não tenho "desejos", tenho tentado manter uma alimentação o mais saudável possível, até porque agora não é só a minha saúde que está em jogo, é a da minha bebé também. Em termos de exercício, continuo a andar a pé todos os dias, comecei a fazer yoga (as costas sofrem muito durante a gravidez - e não ajuda não ter posição para dormir) e faço mais algum exercício, mas tive de abrandar, porque me canso muito mais depressa e a respiração não é o que era. Gostava muito de ser uma Carolina Patrocínio, mas claramente não tenho esse gene.

5 - "Aproveita para dormir agora". Não sei quantas vezes já ouvi isto e só tenho a dizer: A SÉRIO? Dormir? Com dores de costas? A acordar 10 vezes durante a noite, ou porque não estou confortável, ou porque tenho de por uma almofada debaixo da barriga, ou porque tenho de ir fazer xixi, ou porque isto ou porque aquilo? Poupem-me, pessoas. Poupem-me. Está bem?

6 - Toda a gente tem um comentário a fazer sobre a vossa barriga. Eu já ouvi que está muito grande e já ouvi que mal se nota (às vezes ouço as duas coisas no mesmo dia), enfim. Para mim, está enorme, porque estava habituada a vê-la lisa (*saudades*) e não a acho particularmente bonita. Mas, a única opinião que me importa é a dos profissionais de saúde que me têm acompanhado e que dizem que estou óptima e super saudável, assim como a bebé. Nem se dão ao trabalho de me pesar nas consultas, apontam o peso que lhes digo que tinha quando me pesei em casa. 

7 - Ninguém é obrigado a gostar de se ver grávida. Eu não gosto. E não admito que ninguém me faça sentir culpada por isso. Todos os dias dou graças por o meu umbigo não ter saído do sítio (tenho uma sérias aversão por umbigos saídos) e por não ter nem sombras de estrias (também ajuda besuntar-me com óleo religiosamente todos os dias, é que não falha). Mas não gosto da barriga. É grande, é descaída, é larga. Tenho gordura nas ancas que não tinha antes. O meu rabo está maior, as coxas, os braços. Estou perfeitamente consciente de que só eu é que noto estas coisas, mas noto-as. Não quer dizer que goste menos da minha bebé do que aquelas grávidas que fazem sessões fotográficas em cuecas para depois as partilharem no facebook com o mundo inteiro. Mas, por muito que goste da minha filha, não gosto de me ver grávida e não tenho problema nenhum em admiti-lo.

Pronto, malta, para já o resumo é este. Estou quase quase quase a entrar no terceiro trimestre que, tenho para mim, vai ser toda uma nova dor de cabeça (o segundo é, sem dúvida, o melhor). Prometo manter-vos a par dos acontecimentos!


27 comentários:

  1. Pensa que estás quase a ter a tua menina cá fora :) Desejo-te uma hora pequenina. Beijinhos*

    ResponderEliminar
  2. Olha... acho que não tenho nada a acrescentar, ahah! Ainda ontem dizia a uma amiga que não consigo conceber que alguém goste de estar grávida. Como assim?? Masoquistas! Na do meu filho, só tive azia e pés inchados mesmo no final; não enjoei nunca, não tive dores de costas e a posição para dormir só começou a ser pior também no 3º trimestre. E, mesmo assim, não gostei de estar grávida! E agora da menina? Tem sido assim o terror desde o início, ahah! Estou agora com 31 semanas. Concordo com todos os pontos que referes. E só quero que passe depressa, porque a parte melhor? A parte melhor é sem dúvida quando eles estão cá fora! Qual estado de graça qual carapuça...

    ResponderEliminar
  3. Acho importante desmistificar esse lado romantizado da gravidez. Porque, lá está, nem todas as mulheres gostam de se ver grávidas - e isso também não significa que amem menos os filhos. Achar que todos viveremos determinadas etapas com o mesmo brilho e da mesma forma é errado e acaba por incutir uma espécie de sentimento de culpa - ou de dúvida. E é bom quando alguém bate o pé e não tem qualquer problema em assumir que não gosta

    ResponderEliminar
  4. Sofiaaaa! Bem-vinda! Eu bem que vou acompanhando lá pelo Instagram mas gosto tanto de ler os teus posts!

    Ainda bem que nos mostras este lado da gravidez! Eu andei uma altura super enjoada, assim que me levantava da cama davam-me uns enjoos que ninguém merece, e lembro-me de dizer "Meu Deus, se é isto que as grávidas passam.." espero que passe rápido!

    E agora, sobre o comentário lá no meu blog. Recomendo, sem dúvida, uma visita à Califórnia. Desde praias maravilhosas, aos ingredientes super frescos e de óptima qualidade, é um bom sítio para visitar. Mudávamo-nos para lá se pudéssemos ahahha.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quem sabe se um dia não se mudam mesmo para lá =P

      Gravidez não é fácil, não =P mas diz que compensa no fim!

      Eliminar
  5. Não somos, nem temos que ser todas iguais...apenas temos que nos respeitar!
    Como te compreendo. Beijinhos querida

    ResponderEliminar
  6. r: Muito obrigada, minha querida. É tão bom ler isso *-*

    ResponderEliminar
  7. Força nisso. São mais uns meses e depois outros tantos para voltares ao que eras mas com a felicidade de teres uma menina linda. Beijinhos Sara morais

    ResponderEliminar
  8. Desejo-te muita paciência e a maior das sortes no tempo que resta! Vais ver que vai passar num instantinho :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Agora até parece que está a passar mais depressa, mas ainda tenho muito que "penar" =P

      Eliminar
  9. No final tudo vai valer a pena vais ver, aguenta mais um pouquinho :)

    ResponderEliminar
  10. Espero que o resto da gravidez corra bem minha querida! E ainda bem que há pessoas que admitem que isso não é assim tão giro como pintam...tens todo o direito de não achar graça, não é por isso que vais ser pior mãe! You go girl!
    Beijinho, Ana Rita*
    BLOG: https://hannamargherita.blogspot.com/ || INSTAGRAM: https://www.instagram.com/rititipi/ || FACEBOOK: https://www.facebook.com/margheritablog/

    ResponderEliminar
  11. Imagino que seja difícil, estar com náuseas o dia todo não deve ser nada agradável (fico contente por saber que essa parte pelo menos já passou)!
    Também acho estranho que passe a ser normal as pessoas comentarem a barriga de uma grávida como se fosse a coisa mais natural do mundo. É como se passasse a ser socialmente aceite as pessoas comentarem o corpo dos outros e as pessoas quisessem aproveitar essa liberdade tão rara :P
    Felicidades e boa sorte para o resto da gravidez :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, toda a gente se acha no direito de opinar sobre a grávida e sobre o bebé. Só se pode mesmo tentar ter paciência =P

      Eliminar
  12. Adoro mães realistas. Tirando a parte dos enjoos (que quase não tive na minha gravidez) concordo ou passei por isso. Força...que está quase a acabar. (depois ainda há uma parte chata de recuperação... mas com o tempo a coisa melhora). bjs

    ResponderEliminar
  13. Dizemos no Brasil: aceita que dói menos! Boa sorte. Felicidades.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também se diz isso em Portugal (; e aceitar, aceito. Não quer dizer que goste.

      Obrigada! (=

      Eliminar
  14. Acredito que não seja nada fácil e acredito que não seja tão bonito como pintam, afinal é toda uma série de mudanças... É totalmente válido que não gostes e ninguém te pode apontar o dedo ou pôr em causa o teu amor pela tua bebé, pois uma coisa não tem nada a ver com a outra :)

    Um dia, quando estiver grávida também espero não ter o umbigo saído, faz-me cá uma impressão xb

    Espero que corra tudo bem querida <3
    Beijinhos

    ResponderEliminar