domingo, 5 de janeiro de 2014

En Janvier, il fait froid

Que quer dizer qualquer coisa como "Em Janeiro, está frio". Ah pois é, bebés. Eu disse que não estava a brincar.
Depois do meu desabafo de ontem, tenho a dizer que me sinto muito melhor. Bem, não muito, mas o suficiente para me sentir minimamente bem dispostinha. Digamos que é um 7 numa escala de 0 a 10, o que já não é mesmo nada mau. Especialmente, se tivermos em conta o frio que está. Minha gente, o que é isto? Mas porque é que eu me mudei para uma cidade com temperaturas máximas equivalentes às temperaturas mínimas da minha (e vice-versa no Verão, mas isso agora não é para aqui chamado)? Eu sou, sempre fui e tenho grandes suspeitas de que sempre serei uma pessoa que sofre de frio, como se o frio fosse uma doença crónica. Já ouviram falar daqueles infelizes que podem ter 10 camadas de roupa em cima, 5 pares de meias, gorro, luvas e cachecol e ainda assim terem as mãos e os pés gelados e a ponta do nariz prestes a cair? Sim, sou uma dessas pessoas, muito prazer. Ainda me lembro do dia em que, há muitos anos atrás, a minha mãe me estava a tentar aquecer os pés e disse qualquer coisa do género "é como estar a tentar aquecer os pés duma morta". Pois. Fofo, não é? Foi o que eu pensei. Mas, depois, ela conseguiu aquecer-me os pés e eu voltei a ficar em paz com o mundo (e com ela).
E hoje cá estou eu, de aquecedor ligado, com quatro camadas de roupa em cima (camisola de algodão, camisola de malha, camisola polar e casaco polar) e caneleiras por cima das leggings a tentar não me transformar num iceberg. Ai, S. Pedro, consegues ser muito cruel. Eu sou tão boa pessoa (pronto, tem dias), porque é que tem que estar tanto frio? Já tentei convencer um dos meus gatos a deitar-se em cima dos meus pés, mas eles não estão muito para aí virados (nota para o futuro: nunca mais lhes fazer o ninho ao lado do aquecedor se não quiser ser completamente ignorada). E como é que é suposto, com este tempo, uma pessoa ter vontade de ir trabalhar? Bem, sinceramente, até podiam estar uns agradáveis 25º, com o sol a brilhar e os passarinhos a cantar, que eu ia continuar a querer enfiar a cabeça debaixo do edredão e a ignorar o despertador até ele desistir de apitar. Mas com este frio, fica muito mais difícil convencer-me a fazer o que quer que seja. A menos que "o que quer que seja" signifique ficar em casa, debaixo duma manta a beber chá quente o dia todo. Então aí sim, podem contar com a minha disponibilidade imediata.

Sem comentários:

Publicar um comentário