terça-feira, 19 de setembro de 2017

Comer bem é meio caminho andado

A alimentação é fundamental para o nosso bem-estar e para nossa saúde geral. Até aqui, nada de novo. Mas, especialmente no que diz respeito à manutenção do peso/volume corporal, é só meio caminho andado. O outro meio é a actividade física. 
Não adianta lutar contra isto, gente. Não há volta a dar. 

Podem fazer todas as dietas do mundo, podem restringir-se diariamente, viver em sacrifício constante, que se não mexerem o rabo, ele vai continuar flácido. Até pode ser magro, de aparência, mas vai ser flácido. E com celulite. E com todas essas coisas maravilhosas que a gente já conhece (bem demais, até). Claro que há pessoas que têm um metabolismo e um ADN para lá de maravilhosos e que se podem descuidar à vontade, mas essas pessoas são a excepção, não a regra.

Posso falar-vos da minha experiência pessoal. Eu só consegui realmente estabilizar o meu peso e o meu corpo quando meti na cabeça, duma vez por todas, que tinha de me mexer. Que tinha de ser activa e praticar exercício regularmente. Até ter metido isso na cabeça, foi um sem fim de dietas, que acabaram comigo a ser magra, sim, mas falsa magra. Não tinha massa muscular, estava com um peso considerado normal, mas não estava saudável. Não só não estava saudável como o mínimo deslize se notava logo na balança.

Fazer exercício só tem vantagens. Por exemplo, sabiam que mais massa muscular implica um metabolismo mais rápido? E o que é que vem com um metabolismo mais rápido? Vem um maior gasto calórico, porque o vosso corpo vai precisar de muito mais energia para a manutenção da massa muscular do que para a manutenção da massa gorda. O que significa que acabaram-se as dietas de restrição calórica (numa fase de manutenção; obviamente que se estão a emagrecer, então têm de ter alguma restrição). Claro que convém sempre ter uma alimentação inteligente, fazer boas escolhas, mas aquela semana que passaram de férias, a comer e dormir, já não se vai reflectir na balança nem no botão das calças. Não acredito na máxima de "estive a treinar, por isso, agora posso comer este mundo e o outro" mas, sem dúvida, que treinar regularmente nos permite facilitar muito mais na alimentação, sem pesos na consciência (nem no lombo). 

E, depois, há as outras vantagens que já toda a gente conhece: o desporto deixa-nos mais bem dispostos, melhora o sistema imunitário, melhora a circulação, ajuda a combater a celulite e a flacidez. E há muitas soluções para quem não tem tempo/dinheiro para investir em ginásios. Não faltam opções por essa internet fora, com vídeos de treinos que podem ir desde os 15 até aos 90 minutos. Podem ir correr ou andar a pé, que é de graça, assim como subir e descer escadas.

Eu ainda tenho um longo caminho a percorrer, mas orgulho-me do que já percorri até aqui. Já há muitos anos que não tenho peso a perder, mas continuo a ter músculos para tonificar, porque não há milagres, nem resultados do dia para a noite. Mas tenho tido resultados e isso dá-me força para continuar. 

8 comentários:

  1. É mesmo, uma alimentação saudável por muito que ajude não nos vai fazer ficar mais tonificados ou mais em forma. O que não faltam são pessoas magras, mas isto não devia ser levado como elogio porque mais importante que ser-se magra é ser-se saudável. Eu preferia ter essa genética e metabolismo dos que não precisam fazer muito, mas já que não dá, bem que me arrasto para o ginásio e venho de lá bem mais contente pelo esforço e por estar a fazer uma coisa boa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu também gostava muito de ter uma genética mais simpática hehe mas pronto, não tenho, por isso o remédio é mexer o rabo =P

      Eliminar
  2. É mais que necessário mexermo-nos! Noto que quando entro mais nesse ritmo me sinto bem melhor. Infelizmente ainda não consigo ter aquela rotina de x dias por semana faço isto e aquilo, vou fazendo conforme me dá na cabeça! E nada como fazer boas escolhas alimentares para ajudar o processo!
    Beijinho, Ana Rita*

    ResponderEliminar
  3. Há uns meses atrás que mudei bastante a minha alimentação. Os resultados são notórios, mas exercício: socorro!!
    E não é só a falta de tempo - que na verdade não tenho mesmo tempo - é que detesto fazê-lo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu também dizia isso há uns anos atrás. Agora, não vivo sem os meus treinos (=

      Eliminar
  4. Este Verão fiz algumas mudanças na minha alimentação e notei logo algumas diferenças, quero continuar assim e complementar com exercício, até porque é uma coisa que adoro fazer.

    ResponderEliminar