sexta-feira, 13 de outubro de 2017

ACMA | Planear o futuro




Para a minha terceira colaboração no ACMA – A Cultura Mora aqui – pediram-me para escrever um texto sobre o futuro.

Tendo em conta a reviravolta que a minha vida levou nos últimos meses, com a segunda mudança de país em 3 anos, não podiam ter escolhido um tema mais acertado.

Sempre fui uma pessoa que gosta de fazer planos. Chegada a passagem de ano, era ver-me a escrever uma lista de objectivos para o ano que ia começar. Passei muito do meu tempo a planear e a rever os meus planos e a acrescentar sempre coisas novas à lista. Mas, a vida ensinou-me que planear só serve para se sofrer por antecipação. Colocamos uma pressão descomunal em nós mesmos e para quê? A vida tem os seus próprios planos e os nossos acabam por raramente se concretizarem (pelo menos, da maneira que tínhamos pensado).

A minha mudança para França foi um período complicado. Não estava realmente preparada – ninguém está – e foi difícil. Foi difícil aceitar que tinha de emigrar, foi difícil lidar com papéis, com a língua, com a diferença cultural, com as saudades, enfim, com tudo um pouco. Mas, sobrevivi. E, chegados ao fim os meus 3 anos em Troyes, posso reconhecer que, apesar de a vida me ter trocado as voltas várias vezes, fui feliz na mesma. E, agora, cá estou eu, em Inglaterra. Mais uma mudança difícil. Feliz, porque foi para começarmos a nossa vida a dois, mas difícil. Mais papéis, mais exames, mais tudo e mais alguma coisa. Mais uma etapa nova da minha vida que está a começar, sem fazer a mínima ideia de em que é que isto vai dar.

Com os anos tenho aprendido a confiar, a ter mais calma. A viver um dia de cada vez. Ainda sou uma pessoa ansiosa e que precisa de se ocupar. Ainda sou uma pessoa perfeccionista. Ainda sou uma pessoa com objectivos (e acho que todos devíamos ter algo pelo qual lutar, senão qual é a piada disto?). Mas, já não sou uma pessoa obcecada com o amanhã, com o que vai acontecer no futuro. E tem corrido bem. Não só porque consigo viver o meu dia-a-dia com muito mais leveza de espírito, como os resultados têm sido positivos e tenho, pouco a pouco, conquistado tudo o que queria. Se calhar, não pela ordem que eu queria, nem quando eu queria, nem como eu achava que ia ser. Mas, no final do dia, sou uma pessoa feliz. Aqui e agora. E não é isso que importa?
O meu conselho para toda a gente é: preocupem-se com o futuro, sim. Preocupem-se em ter como pagar as vossas contas, em ocuparam-se com coisas que vos preencham. Preocupem-se com o futuro do planeta, com o futuro do país. Mas não fiquem obcecados com todos os aspectos do vosso futuro. Vivam um dia de cada vez. Vão ver que faz toda a diferença.


Se gostaram do texto e quiserem juntar-se ao projecto ACMA, é só mandarem um mail para acma.cultura@gmail.com .
Também podem visitar a página de Facebook e ler a Revista deste projecto.


7 comentários:

  1. Gostei muito deste texto. Boa sorte com a nova mudança, vai correr bem :)
    Um dia de cada vez, como disseste.

    ResponderEliminar
  2. E eu tenho acompanhado, não todas mas algumas mudanças da tua vida e torço para que tudo corra bem. E é isso o que dizes, pensar com os pés na terra mas viver o momento também :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem sempre é fácil, mas tenho melhorado (=

      Eliminar
  3. Gostei muito do texto, acho que nos devemos preocupar e preparar o nosso futuro, sem sofrer por antecipação e ir aproveitando todos os dias ao máximo! Beijinhos*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É esse equilíbrio que é difícil encontrar, mas tudo se consegue (;

      Eliminar
  4. Por acaso admiro-te imenso por teres coragem de viver fora do país. Era uma coisa que gostava de experimentar durante dois ou três anos, mas tenho muito receito de não ambientar-me bem :l
    Contudo também deixei de planear o futuro, o que acontecer, aconteceu :D

    Beijinhos,
    Dezassete | 5 PENTEADOS SUPER FÁCEIS

    ResponderEliminar