quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Os vários sentidos de voltar a casa

Quem é assíduo aqui, neste meu estaminé, não vai ficar surpreendido por me "ouvir" dizer que o meu último ano em Troyes foi bastante difícil. 

Foi um ano durante o qual me senti particularmente sozinha e isso acabou por se reflectir num descontentamento geral: com o trabalho, com o apartamento, com a vida, enfim, com tudo e mais um par de botas. Viver sozinho e a mais de 1000 km do nosso país não é fácil e, no mesmo seguimento da afirmação anterior, vou acrescentar que sair do trabalho e ir para casa, onde só se têm as paredes para nos fazer companhia é uma bela merda porcaria. 

No entanto, e apesar de a minha mudança para fora de Troyes ter sido imensamente desejada, também foi um acontecimento de puxar a lágrima ao canto do olho. Porque nem todos os momentos que lá vivi foram maus, bien évidemment, e porque deixei lá muita gente importante para mim. 

No último fim-de-semana, fiz uma visitinha relâmpago a Troyes. Ainda tinha algumas coisas minhas para trazer e aproveitei para revisitar a cidade e as pessoas. Adorei rever as minhas colegas de trabalho, a minha assistente, que até se emocionou, ter notícias dos meus pacientes. Adorei ir comer a alguns dos sítios do costume, caminhar pelas ruas do costume, ir à farmácia do costume. Ver a minha casa, que já foi alugada, e sentir uma pontinha de saudades. E adorei rever os meus Amigos, assim mesmo, com A maiúsculo, que até me arranjaram um quinto bolo de aniversário, sem ter sido preciso eu pedir nada, e uma prenda, que eu adorei (mesmo!). Fui extremamente mimada durante estes dias,  desde a prenda, às conversas que duravam mais que pilhas Duracell, até aos pãezinhos de leite caseiros para o pequeno-almoço, que estavam uma maravilha (Bruna, não me responsabilizo se te começarem a fazer fila à porta de casa). Voltei para Inglaterra bem mais leve (de espírito, entenda-se, porque de malas, vim bem mais carregada). 

Não estou nada arrependida de me ter mudado para Inglaterra. Está a ser um pesadelo burocrático? Sim. Estou cansada da minha batalha diária contra as alcatifas? Estou, sim senhora, e passo horas a escarafunchar os sites das imobiliárias à procura de casas sem esta porcaria (que são raríssimas, é quase como procurar uma agulha num palheiro). Mas, já não estou a viver sozinha, com os móveis como companhia, e isso vale muito. No entanto, nestes dias que passaram, não deixei de ter a sensação de que, ao voltar a Troyes, estava a voltar a um lugar que já foi, realmente, a minha casa.



Sim, já estava frio que justificasse um camisolão

Pequeno-almoço da praxe

A minha antiga casa

A Mairie, aka, Câmara





Os melhores sumos detox de Troyes

O sítio que serve os supra mencionados "melhores sumos detox de Troyes"





O meu quinto bolinho, lindo e delicioso, que só ele

17 comentários:

  1. É um lugar comum, mas faz todo o sentido: os locais que realmente importam ficam com um bocadinho de nós e deixam-nos trazer um bocadinho de si =)

    ResponderEliminar
  2. Que cidade fofinha (não conhecia) e que plano fantástico, cheio de coisas boas e momentos preciosos!! Boa sorte agora com as acaltifas :P eheh

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Troyes é uma cidade muito bonita, aconselho toda a gente a ir visitar (; quanto às alcatifas, eu hei-de conseguir o que quero! (=

      Eliminar
  3. Não conhecia a cidade, sabia que tinhas morado lá mas nunca tinha visto fotos e adorei!
    Na ultima casa onde morei sentia-me tal e qual como tu, mas passo por lá (apesar de ser minutos), sinto uma saudade daqueles momentos :)

    Beijinhos,
    Dezassete | WHAT'S ON MY PHONE

    ResponderEliminar
  4. As mudanças quando são positivas são muito boas e como referes já não estás só com os móveis :)
    O teu bolo estava com muita originalidade
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  5. Tu és cidadã do mundo e aquela foi uma das tuas casas, um dos teus lares que vai ficar sempre no teu coração. :)

    ResponderEliminar

  6. These photos are stunning! So vivid and detailed. Thanks for the share, love checking out your blog.
    Scarlett

    ResponderEliminar
  7. É tão bom voltarmos aos lugares que pertencem ao nosso coração! Beijinhos*

    ResponderEliminar
  8. Sabe bem matar as saudades, afinal aquela foi a tua casa e aquelas as tuas pessoas durante bastante tempo :)

    ResponderEliminar
  9. Alcatifa, partilhamos a mesma "dor"! Eu quando vivi na minha primeira casa no UK era disso por todo o lado, depois nunca mais! Quando consegui encontrar um apartamento sem, foi um alívio! Para teres a mesma sorte deves procurar pelos edifícios mais recentes, porque nos antigos é improvável.

    r: sim, basta derreteres o óleo de côco e ir adicionando o necessário para poderes formar bolinhas. O sabor não ficará 100% manteiga de amendoim, mas é uma alternativa saudável.

    ResponderEliminar
  10. De vez em quando sabe bem recordar e voltar a sítios que já nos marcaram tanto como esse para ti! Gostava muito de conhecer essa zona!
    Beijinho, Ana Rita*

    ResponderEliminar
  11. Isso é bom! Quer dizer que apesar de todas as dificuldades e coisas menos boas as melhores prevalecem sempre! Boa sorte para esta nova etapa e na busca por uma casa sem alcatifa hahah
    beijinhos
    https://direitoporlinhastortas-id.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  12. É bom quando voltamos a sítios onde deixamos pessoas e passámos bons momentos :)

    ResponderEliminar
  13. É bom quando voltamos a sítios onde deixamos pessoas e passámos bons momentos :)

    ResponderEliminar
  14. É bom mudar (e para melhor!), mas também é bom revisitar pessoas e lugares, ir onde já fomos felizes :)

    ResponderEliminar