quinta-feira, 25 de janeiro de 2018

Dicas de Dentista | Sobre o panfleto do Jumbo e a limpeza das chupetas

Há alguns dias vi, porque alguém partilhou no facebook, uma imagem dum panfleto do Jumbo, que estava a levantar alguma polémica e que vou deixar aqui em baixo:



Apesar de ter visto isto num grupo de dentistas e de alguns deles estarem perplexos, a mim não me chocou (já a falta de actualização e a arrogância de algumas pessoas nunca deixa de me surpreender). No entanto, em conversa com uma menina no Instagram, que também tinha partilhado a imagem, foi-me feito ver que, para quem não é da área, a informação dada não é suficiente e pode induzir em erro. Também por sugestão da mesma menina decidi fazer, então, este post.

Em primeiro lugar, vou dizer que isto é um tema sobre o qual não há certezas absolutas, há evidências científicas que sugerem que se deva ir em determinada direcção, mas não é "preto no branco".

E posto isto, vou passar, então, a explicar. Antes de mais nada: a informação que está neste panfleto é correcta. Efectivamente, a esterilização das chupetas já não é recomendada e a indicação dos pais passarem a chupeta, quando a mesma cai ao chão, na própria boca antes de a darem às crianças também tem fundamento. Vamos por partes:
  • Já há algum tempo que se tem vindo a associar o aumento de doenças como a asma, eczema, rinite alérgica, etc. ao excesso de limpeza e à "obsessão" com a esterilização da sociedade moderna. Expressões como "elimina 99,9% das bactérias" são mais do que conhecidas por todos nós e já há bastantes evidências científicas de que esse excesso de limpeza não é benéfico e tem vindo a ser associado ao aumento das doenças já mencionadas. Actualmente, o lema é "limpos sim, esterilizados não". A melhor maneira de as crianças desenvolverem um sistema imunitário saudável é tendo uma microbiota intestinal saudável e isso só se consegue pelo contacto com micróbios. Ficam aqui com um artigo da Associação Americana de Pediatria, que talvez tenha sido no que se basearam os senhores do Jumbo, se alguém quiser ler.
Uma das melhores maneiras de as crianças desenvolverem uma microbiota saudável é pelo contacto com a microbiota dos pais. As mães têm um papel especialmente importante neste aspecto, por causa do contacto da amamentação e do próprio parto e hoje sabe-se que é fundamental que as crianças contactem com microrganismos. Portanto, o que falta explicar no panfleto é o seguinte:

  • Limpar a chupeta na boca dos pais é o que se aconselha no caso de a chupeta cair no chão da própria casa. Mesmo assim, ninguém é obrigado a fazê-lo e, pessoalmente, eu teria alguma dificuldade em adoptar este gesto, porque não gosto de pôr na boca o que caiu ao chão, mas isso já é uma questão pessoal e cada um é livre de optar pelo que faz mais sentido para si. Podem sempre passar a chupeta por água corrente primeiro, porque será uma opção mais higiénica (sobretudo para os pais).
  • Se têm o hábito de andar em casa com os sapatos com que andaram na rua, então se calhar é melhor não fazerem isto. Aí aconselharia, sem dúvida, passar a chupeta por água corrente.
  • Uma das preocupações em relação a esta prática era a transmissão de microrganismos causadores de doença, mas não há evidência científica de que crianças cujos pais limpam as chupetas na própria boca tenham maior prevalência de infecções respiratórias do que as outras crianças. O mesmo se aplica às cáries dentárias: os factores mais determinantes para o aparecimento de cáries são a dieta e os hábitos de higiene (e não o contacto com a saliva dos pais).
  • Se, mesmo assim, não se sentem confortáveis a fazer isto, não são obrigados a fazê-lo. Há muitas maneiras de as vossas crianças terem contacto com microrganismos, como ter um animal de estimação, brincar na terra (especialmente se for um jardim ou terreno onde saibam que não se usam pesticidas), consumir alimentos pré e probióticos, enfim, não faltam opções.
  • Claro que podem ter estes cuidados todos e o vosso filho vir a sofrer de asma na mesma. Quem diz asma, diz outra coisa qualquer. Estas doenças são multifactoriais e, portanto, complexas. No entanto, este pode ser um dos factores envolvidos.
Bem, espero que tenham ficado mais esclarecidos. Como já referi, isto não é um tema sobre o qual existam certezas absolutas e ainda há muita investigação para ser feita mas, no momento actual, as evidências são estas. Não se zanguem com os senhores do Jumbo, porque eles não disseram nenhuma mentira, só podiam ter explicado melhor a verdade. Quem quiser falar sobre mais alguma coisa ou tirar alguma dúvida, pode sempre mandar um e-mail, pelo formulário que encontram aqui na página inicial do blog.

Espero ter ajudado!


21 comentários:

  1. Pois, as pessoas são muito rápidas a julgar e nem colocam a possibilidade de estarem erradas, muitas julgam que são as donas da verdade... Obrigada pelo esclarecimento!

    ResponderEliminar
  2. Eu só achei um bocado exagerado dizerem que passar a chupeta primeiro na boca dos pais é que é a melhor maneira de a limpar (isso é mais quando não há uma torneira nas proximidades e é muito mais higiénico primeiro passar por água corrente) e não sei até que ponto há realmente um reforço do sistema imunitário ao partilhar a saliva, já que o que a maioria dos estudos refere é que é sobretudo no parto vaginal, na amamentação ou no contacto directo com a pele da mãe/pai (ate fazem isso com prematuros). A teoria da higienização tem uma explicação muito gira do ponto de vista imunológico, aconselho a lerem um bocado sobre o assunto! ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu acho que eles devem ter lido aquele artigo que partilhei (ou outro do género) e fizeram só um resumo da conclusão =p se bem que já li essa recomendação em vários sítios. Pessoalmente, não acho higiénico para os pais, mas pronto, não é isso que está aqui em causa e há sempre a velha máxima “o que não mata engorda” xD

      Eliminar
    2. Eu tbm uso essa maxima e até uso a “regra” dos 5 segundos xD xD

      Eliminar
  3. Gostei do teu à vontade a falar e concordo muito contigo.

    ResponderEliminar
  4. Já tinha visto a imagem a circular no facebook e confesso que, inicialmente, achei estranho. Mas, por outro lado, também pensei que não iriam arriscar-se a colocar uma informação dessas num panfleto sem haver o mínimo de fundamento. O que me chocou, uma vez mais, foi a arrogância de algumas pessoas (como referiste), que se prontificaram a julgar e, inclusive, a insultar.
    Gostei bastante de ler este esclarecimento. Excelente publicação!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As pessoas gostam de atirar pedras, parece que estão sempre à espera de o poder fazer, é muito triste =p

      Eliminar
  5. Tão fácil atirar logo pedras, baby Jizaz, como anda o mundo. Bem-haja tu que vieste dar um bocadinho de apoio a quem só vê pontos negativos em todo o lado ;)

    ResponderEliminar
  6. hoje em dia as pessoas são tão obcecadas com germes e micróbidos! parece que querem que os filhos vivam numa bolha... por isso é que tão sempre doentes! x

    Meet me for Breakfast

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lentamente as mentalidades vão mudando (=

      Eliminar
  7. Sinceramente ando um pouco a leste porque estou na fase em que já não me nascem primos, mas também ainda ninguém tem bebés.
    Realmente se fosse na rua eu nunca poria a minha boca na chupeta, mas percebo perfeitamente o facto de a esterilização já não ser tão imperativa como se pensava.
    Obrigada por falares deste assunto :)
    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  8. Vi esta imagem pelo instagram e confesso que fiquei assim um bocadinho "chocada" vá. Achei ótimo explicares por aqui! Confesso que eu também preferia passar pela torneira primeiro ahah. Bom fim-de-semana <3

    ResponderEliminar
  9. A minha mãe conta-me que quando eu era bebé não andava feita louca a esterilizar tudo. Muitas das vezes nem lavava a chucha visto que eu pegava logo nela. E não fiquei tantas vezes doente como a maioria das crianças parece ficar agora. Quando estou com crianças mais pequenas lá na creche e elas deixam cair a chucha passo-a por água e volto a dar-lha. E acredito que muitas das vezes elas peguem logo na chucha para pô-la na boca, ainda antes de vermos. Sempre acreditei que era assim que as crianças ganhavam imunidade. Ainda não sou mãe mas quando for vou tentar não ser maníaca em relação a isto. Há que deixar a criança ganhar anti corpos!

    Obrigada pelo esclarecimento :)

    ResponderEliminar
  10. Confesso que só esterilizei os acessórios aquando do meu primeiro filho, no segundo já não o fiz devido a novas informações sobre isso e posso dizer que o segundo foi bem mais saudável que o primeiro. Se teve influência ou não, não sei mas é um facto.

    ResponderEliminar
  11. Ainda não tinha visto esta informação mas lida assim à primeira acho que o que "choca" é a frase de passar primeiro na boca dos pais para partilha de micróbios... vá isto dito assim não fica lá muito bonito mas verdade se diga, que embora tenha fundamento eu também prefiro passar em água corrente :)

    ResponderEliminar