terça-feira, 28 de abril de 2020

Sofia na Cozinha | As (melhores) panquecas

Nunca fui um ás da cozinha. Muito pelo contrário! Corria o ano de 2016 quando ralei uma cenoura pela primeira vez na vida (tinha eu 28 anos, se estiverem a pensar nisso). Mas, desde que a Leonor nasceu que me dediquei muito mais ao assunto e começo já a dominar umas coisas (incluindo umas queijadas de leite maravilhosas, mas isso será assunto para outro dia).

Um dos pequenos-almoços que fazemos mais vezes ao fim-de-semana são estas panquecas que vim partilhar hoje. A receita original é da Na Cadeira da Papa, mas sempre (e é mesmo sempre) que mostro as panquecas no Instagram recebo várias mensagens a pedirem a receita. Assim sendo, fica aqui por escrito!

Vão precisar de:

- 1 chávena de farinha (já fiz com farinha de trigo e com farinha de aveia e prefiro com trigo)
- 1 colher de sopa de amido de milho
- 1 colher de sopa de açúcar amarelo (também já fiz com açúcar de coco)
- 1 colher de chá de fermento
- 1 ovo
- 1 chávena mal cheia de leite/bebida vegetal (a bebida vegetal que usamos é de arroz/coco, mas já fiz com leite e funciona muito bem na mesma)
- 1 colher de sopa de manteiga

Só têm de misturar todos os ingredientes (primeiro os líquidos e de seguida os sólidos) com a vara de arames, deixar repousar 5 minutos e depois ir deitando colheradas numa frigideira anti-aderente. Truques para que as panquecas fiquem bonitas (é a pergunta que mais me fazem, a seguir a pedirem a receita):
- a frigideira tem de estar quente, mas não ponham o lume no máximo. Eu começo com médio e a meio reduzo. Se estiver muito quente, queimam rapidamente;
- eu uso uma colher de sopa para deitar a massa na frigideira, é como funciona melhor (para mim!) para que fiquem redondinhas e com um aspecto mais perfeitinho. Como faço a pensar na Leonor (mas eu e o pai também comemos) até prefiro que saiam assim mais pequeninas (rende umas 22-23 panquecas pequenas. Podem guardar no frigorífico ou congelar, que nunca experimentei, mas podem ver tudo no blog Na Cadeira da Papa, que explica isso muito bem);
- quando a massa começa a fazer bolhas está no ponto para ser virada.

A receita leva açúcar, mas é uma quantidade pequena que, repartida por cerca de 20 panquecas, fica ainda mais pequena (a Leonor come 2 ou 3 numa refeição). É bem menos quantidade de açúcar do que a que se encontra em muitos produtos para bebés e crianças (incluindo os iogurtes próprios para bebé que, na minha opinião, deviam ser banidos). Eu optei por não proibir o açúcar na alimentação da Leonor, porque não quero atribuir-lhe nenhum misticismo, nem que ela ganhe paranóias com isso. Ela come de tudo - literalmente. Adora sopa, come legumes inteiros, é doida por fruta. Muito mais depressa come a fruta ao pequeno-almoço e ao lanche do que qualquer outra coisa que lhe ponha à frente. Para nós está a funcionar bem assim, para outras pessoas funcionará de maneira diferente, podemos ser todos amigos na mesma.

Posto isto, deixo-vos com as fotografias do último lote de panquecas que fiz e que foram, como sempre, muito cobiçadas no Instagram!

Bolhinhas! Estão boas para virar



9 comentários:

  1. Já experimentei algumas receitas de panquecas e nunca fiquei fã de nenhuma... Vou ter que testar esta!
    Obrigada pela partilha :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu só muito recentemente é que comecei a gostar de panquecas! E esta receita nunca me falha (=

      Eliminar
  2. Adoro panquecas! Tenho mesmo que experimentar esta receita *-*

    ResponderEliminar
  3. Que ótimo aspeto, tenho de experimentar!

    Beijinho,
    Doce Branca

    ResponderEliminar
  4. Adoro panquecas, mas nunca consigo virar uma sem queimar ou desfazer a massa...

    ResponderEliminar